Investigação do efeito do envio automático de alertas ao paciente com HIV/AIDS por meio de mensagem de texto para celular na adesão ao tratamento antiretroviral

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

25/05/2011

RESUMO

Objetivo: Avaliar se o envio automático de mensagens de celular do tipo SMS aumenta a adesão ao tratamento com drogas antiretrovirais. Métodos: O sistema web HIVAS foi projetado segundo os preceitos do modelo cascata de engenharia de software. Foram conduzidos dois experimentos: Experimento 1, um ensaio clínico controlado e aleatorizado com mulheres que vivem com HIV/AIDS para avaliar o efeito das SMS na adesão ao tratamento antiretroviral; Experimento 2, um estudo transversal com os dados extraídos de dois prontuários eletrônicos de 4 clínicas médicas paulistanas para avaliar o efeito das SMS na ausência a consultas agendadas. No Experimento 1 a adesão do grupo de participantes alocados para receber SMS, denominado intervenção (n=8), e do grupo de participantes alocados para não receber SMS, denominado controle (n=13) foi medida durante 4 meses pelos métodos de auto-relato de adesão, contagem de pílulas e monitoramento micro-eletrônico (MEMS). No Experimento 2 foram comparadas a incidência de ausência a consultas quando houve envio de lembrete SMS, denominado intervenção (n=7.890), com a incidência de ausências a consultas quando não houve envio de lembrete, denominado controle (n=21.124). Resultados: O sistema web HIVAS foi desenvolvido em 7 meses, entre 2008 e 2009, de acordo com o planejado. No Experimento 1, considerando o período completo de quatro meses, a quantidade e o percentual de participantes dos grupos controle e intervenção que conseguiram manter adesão ao tratamento antiretroviral superior a 95%, foram respectivamente: 11 (84,62%) e 8 (100,00%) para o método de adesão auto-relatada; 5 (38,46%) e 4 (50,00%) para o método da contagem de pílulas; e 6 (46,15%) e 6 (75,00%) para o monitoramento micro-eletrônico. No Experimento 2, em média o percentual de ausência a consultas agendadas que não tiveram envio prévio de SMS foi de 25,57%, enquanto que o percentual de ausência a consultas que tiveram envio de lembrete SMS foi de 19,42%. Conclusão: As mensagens SMS demonstraram potencial em colaborar na adesão do paciente ao tratamento. As mulheres brasileiras que vivem com HIV/AIDS que receberam as SMS relataram que as mensagens são lembretes, incentivos, um olhar preocupado, um carinho de uma clínica de saúde para com elas, uma população ainda marginalizada. Além disso, foi observada uma redução estatisticamente significante na ausência a consultas devido às mensagens SMS. O desenvolvimento do HIVAS foi a etapa conduzida com menor dificuldade no projeto, reforçando a viabilidade da incorporação de SMS para auxiliar na prática clínica. Palavras-chave: Adesão, cooperação do paciente, falta a consultas, HIV, síndrome da imunodeficiência adquirida, telefone celular, mensagem de texto, SMS.

ASSUNTO(S)

adesão a medicação cooperação do paciente falta a consultas hiv síndrome da imunodeficiência adquirida telefone celular mensagem de texto sms informática médica outros adherence patient compliance non-attendance hiv acquired immunodeficiency syndrome cell phones text messaging sms

Documentos Relacionados