Influência do treinamento muscular pós-operatório sobre as medidas de desempenho da musculatura respiratória em pacientes no pós-operatório de revascularização do miocárdio = : Influence of muscular training on measures of the respiratory muscles in postoperative coronary artery bypass grafting / Influence of muscular training on measures of the respiratory muscles in postoperative coronary artery bypass grafting

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

10/07/2012

RESUMO

Justificativa e Objetivo: Complicações pulmonares estão entre as maiores causas de morbidade e mortalidade do pós-operatório (PO) de cirurgia cardíaca. As causas são diversas e estão relacionadas à disfunção pulmonar causada pela circulação extracorpórea, esternotomia, uso da artéria mamária interna, drenos torácicos e à dor no período pós-operatório. Ocorre disfunção da musculatura respiratória acompanhada de perda da força muscular e redução das capacidades e volumes pulmonares. Nesse contexto, técnicas fisioterapêuticas têm por objetivo a reexpansão e melhora da capacidade pulmonar além da manutenção ou ganho de força muscular respiratória, e podem contribuir para prevenção e tratamento de tais complicações. O objetivo do presente estudo foi avaliar o efeito do treinamento muscular inspiratório em pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio, com o uso do Threshold® IMT no período pós-operatório. Método: Quarenta e sete pacientes submetidos à revascularização eletiva do miocárdio através de esternotomia mediana foram randomizados por sorteio prévio à avaliação pré-operatória e divididos em dois grupos: Grupo Estudo (23 pacientes, cinco mulheres e 18 homens) e Grupo Controle (24 pacientes, oito mulheres e 16 homens), com idade média de 61,83±8,61 e 66,33±10,20 respectivamente. Ambos os grupos foram submetidos ao protocolo de rotina para atendimento fisioterápico em pós-operatório de cirurgia cardíaca. Apenas o grupo estudo foi submetido a um protocolo de treinamento inspiratório com o uso do Threshold® IMT com carga de 40% da Pimáx obtida no 1º PO durante três dias. Foram mensuradas e comparadas às pressões respiratórias máximas (Pimáx e Pemáx), VC (Volume Corrente), CV (Capacidade Vital) e Pico de Fluxo Expiratório (Pico de Fluxo Expiratório) no Pré-OP, PO1 e PO3. Resultados: Observou-se redução significativa em todas as variáveis mensuradas no 1º dia de pós-operatório quando comparadas ao pré-operatório, nos dois grupos estudados. Pimáx (p<0,0001), Pemáx (p<0,0001), VC GE (p<0,0004) e GC (p<0,0001), CV GE (p<0,0001) e GC (p<0,0001) e Pico de Fluxo Expiratório (p<0,0001). No PO3, o GE apresentou, em comparação ao GC, maior valor de CV, (GE 1230,4±477,86ml vs GC 919,17±394,47ml, p=0,0222) e VC (GE 608,09±178,24ml vs GC 506,96±168,31ml, p=0,0490). Conclusão: Pacientes submetidos à cirurgia cardíaca sofrem redução da capacidade ventilatória e da força muscular respiratória após a cirurgia. O treinamento muscular realizado foi eficaz em recuperar o volume corrente e a capacidade vital no terceiro dia de pós-operatório, no grupo treinado. Não houve diferença na incidência de complicações respiratórias e o grupo treinado apresentou menor tempo de internação na unidade coronariana.

ASSUNTO(S)

exercícios respiratórios modalidades de fisioterapia tórax - cirurgia breathing exercises physical therapy modalities thoracic surgery

Documentos Relacionados