Influência da Estabilidade da Transferência Metálica e Composição do Gás de Proteção sobre Emissão de CO e CO2 durante Soldagem MIG/MAG

AUTOR(ES)
FONTE

Soldagem & Inspeção

RESUMO

Resumo: Vários estudos têm demonstrado a influência dos parâmetros e proteção gasosa sobre a estabilidade de transferência metálica ou sobre a geração de fumos em soldagem MIG/MAG, mas pouco ou nada tem sido discutido sobre a emissão de gases tóxicos e asfixiantes, particularmente no que tange a parametrização do processo. O objetivo deste estudo foi analisar e avaliar o efeito de aspectos operacionais dos processos de soldagem (estabilidade da transferência metálica e composição do gás de proteção) sobre os níveis de emissão gasosa de durante a soldagem MIG/MAG (aspectos ambientais e de saúde ocupacional). Utilizando-se misturas de argônio com CO2 e O2 e mantendo-se a mesma corrente média e o mesmo volume de cordão de solda, soldagens com transferência por curto-circuito foram realizadas com arame de aço carbono em ambientes aberto (zona de respiração do soldador) e confinados. A tensão de soldagem foi ajustada gradualmente para modificar a estabilidade da transferência. Verificou-se que quanto mais rica a composição do gás em CO2, mais CO2 e O2 são emitidos pelo arco. No entanto, ao contrário de emissão de fumos, tensão e estabilidade da transferência metálica não têm efeito sobre a geração de gases. Verificou-se também que, apesar da grande quantidade de CO e CO2 emitida pelo arco, especialmente quando se utiliza gás de proteção CO2 puro, não se forma concentração residual de alto nível de CO e CO2 perto de zona de respiração do trabalhador, mesmo em células de trabalho confinadas.

Documentos Relacionados