Hipergeneralizações: organizações são quase qualquer coisa em best-sellers de introdução à Administração

AUTOR(ES)
FONTE

Cad. EBAPE.BR

DATA DE PUBLICAÇÃO

28/02/2014

RESUMO

Este artigo almeja contribuir com reflexões sobre a qualidade da produção de sentido na Educação Superior em Administração no Brasil. Para tal, volta-se para uma análise semântica das definições de organização identificadas em pesquisa bibliográfica realizada nos livros-textos de introdução às teorias administrativas utilizados nas maiores e melhores instituições de Ensino Superior brasileiras. Esta análise definiu esses conceitos-chave como hipergeneralizações, em função de sua vagueza. Para aumentar sua precisão semântica, propõe-se a inclusão de historicidade e especificidade por meio da consideração do contexto que deu origem às organizações modernas. Essa simplificação conceitual generalizada produz efeitos éticos relevantes, ao descaracterizar dimensões da prática social coletiva no mundo das organizações. Afinal, o que se pode esperar de um campo que estuda "quase qualquer coisa"?This paper aims to contribute by means of reflections on the quality of meaning production in the Higher Education in Administration in Brazil. For this, it is aimed at a semantic analysis of the definitions of organization identified through a bibliographical survey conducted in textbooks introducing the administrative theories used in the biggest and best Brazilian Higher Education institutions. This analysis defined these key concepts as hyper-generalizations, due to their vagueness. For increasing their semantic accuracy, we propose the inclusion of historicity and specificity by considering the context that gave rise to modern organizations. This generalized conceptual simplification produces relevant ethical effects, by mischaracterizing dimensions of the collective social practice in the world of organizations. After all, what may we expect from a field that studies "almost anything"?

ASSUNTO(S)

applied social sciences

Documentos Relacionados