Habilidades fonológicas em crianças com gagueira

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. CEFAC

DATA DE PUBLICAÇÃO

28/02/2014

RESUMO

Objetivo : estudar as características de desenvolvimento fonológico de crianças gagas e não-gagas, e investigar possível associação entre a presença de gagueira e a de processos fonológicos.Métodos : foram selecionadas 20 crianças (10 gagas), do sexo feminino e masculino, entre 04 a 08 anos de idade, pareadas por sexo e idade. As crianças do grupo de estudo tiveram diagnóstico de Gagueira e foram classificadas quanto a gravidade da patologia por meio do Stuttering Severity Instrument-3. Foram excluídas aquelas que apresentaram evidência de surdez, doenças neurológicas e/ou psiquiátricas. As crianças de ambos os grupos foram submetidas à avaliação fonoaudiológica e à aplicação das provas de Fonologia do Teste de Linguagem Infantil- ABFW.Resultados : no grupo de estudo foram observados 60% de processos fonológicos não esperados para a idade, enquanto que no grupo controle foram apenas 10%. As diferenças entre os grupos não foram estatisticamente significantes quanto à incidência de processos fonológicos. Há indícios de que o grupo de crianças gagas esteja mais predisposto à presença de pelo menos um processo fonológico.Conclusão : conclui-se que a metodologia utilizada na investigação dos processos fonológicos foi eficaz, mas devido à amostra reduzida não foi possível o aprofundamento da questão, ou seja, verificar se há uma diferenciação no desempenho de crianças gagas quanto aos processos fonológicos quando comparadas com as não-gagas.Purpose : to study the phonological development characteristics of stuttering and non-stuttering children, and to investigate possible association between stuttering and phonological processes.Methods : 20 children (10 stuttering), female and male, between 4 to 8 years old, matched by gender and age. Children in the experimental group diagnosed with Stuttering and classified to severity of disease through the Stuttering Severity Instrument-3. Those who had evidence of deafness, neurological diseases and/ or psychiatric disorders were excluded. Children in both groups underwent speech and phonology evaluations by ABFW – Child Language Test.Results : 60% of phonological processes not expected for age were observed in the experimental group. Moreover, in the control group were only 10%. Differences between groups were not statistically significant on the incidence of phonological processes. There is evidence that the group of stuttering children is more likely the presence of at least one phonological process.Conclusion : the methodology applied in the investigation of phonological processes was effective, but due to small sample not been possible to develop the issue and verify if there is a difference in performance as the stuttering children phonological processes when compared to non-stuttering.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados