Função Atrial Esquerda Prejudicada Associada com a Fibrilação Atrial Paroxística na Hipertensão

AUTOR(ES)
FONTE

Arq. Bras. Cardiol.

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/03/2014

RESUMO

Fundamento: A hipertensão arterial é o fator de risco mais prevalente e modificável para a fibrilação atrial. A sobrecarga de pressão no átrio esquerdo induz alterações fisiopatológicas que ocasionam alterações na função contrátil e nas propriedades elétricas. Objetivo: Nesse estudo, o objetivo foi avaliar a função do átrio esquerdo em pacientes hipertensos para determinar a associação entre a função atrial esquerda e a fibrilação atrial paroxística (FAP). Método: Foram estudados 57 pacientes hipertensos (idade: 53 ± 4 anos, fração de ejeção do ventrículo esquerdo: 76 ± 6,7%), incluindo 30 pacientes consecutivos com FAP e 30 indivíduos de controle pareados por idade. Os volumes do átrio esquerdo (AE) foram medidos através do método biplano de Simpson modificado. Foram determinados três tipos de volume do AE: volume máximo do AE (AEVmax), contração atrial prematura do AE (AEVpreA) e volume mínimo do AE (AEVmin). Foram calculadas as funções de esvaziamento do AE. Volume total de esvaziamento do AE = AEVmax - AEVmin e a FEtotal do AE = (AEVmax - AEVmin)/AEVmax, volume de esvaziamento passivo do AE = AEVmax-AEVpreA, e a FE do AE = (AEVmax - AEVpreA)/AEVmax, o volume de esvaziamento ativo do AE = AEVpreA- AEVmin e a FE ativa do AE = (AEVpreA - AEVmin)/AEVpreA. Resultados: O período hipertenso é maior no grupo de hipertensos com FAP. O AEVmax aumentou significativamente no grupo de hipertensos com FAP quando comparado ao grupo de hipertensos sem FAP (p = 0,010). A FEAE diminuiu significativamente no grupo de hipertensos com FAP em comparação com o grupo de hipertensos sem FAP (p = 0,020). A' diminuiu no grupo de hipertensos com FAP quando comparado com hipertensos sem FAP (p = 0,044). Conclusão: O volume aumentado do AE e função de esvaziamento ativa do AE prejudicada foram associados com a FAP em pacientes hipertensos não tratados. Um período hipertenso mais longo está associado com a FAP. Background: Hypertension is the most prevalent and modifiable risk factor for atrial fibrillation. The pressure overload in the left atrium induces pathophysiological changes leading to alterations in contractile function and electrical properties. Objective: In this study our aim was to assess left atrial function in hypertensive patients to determine the association between left atrial function with paroxysmal atrial fibrillation (PAF). Method: We studied 57 hypertensive patients (age: 53±4 years; left ventricular ejection fraction: 76±6.7%), including 30 consecutive patients with PAF and 30 age-matched control subjects. Left atrial (LA) volumes were measured using the modified Simpson's biplane method. Three types of LA volume were determined: maximal LA(LAVmax), preatrial contraction LA(LAVpreA) and minimal LA volume(LAVmin). LA emptying functions were calculated. LA total emptying volume = LAVmax−LAVmin and the LA total EF = (LAVmax-LAVmin )/LAVmax, LA passive emptying volume = LAVmax− LAVpreA and the LA passive EF = (LAVmax-LAVpreA)/LAVmax, LA active emptying volume = LAVpreA−LAVmin and LA active EF = (LAVpreA-LAVmin )/LAVpreA. Results: The hypertensive period is longer in hypertensive group with PAF. LAVmax significantly increased in hypertensive group with PAF when compared to hypertensive group without PAF (p=0.010). LAAEF was significantly decreased in hypertensive group with PAF as compared to hypertensive group without PAF (p=0.020). A' was decreased in the hypertensive group with PAF when compared to those without PAF (p = 0.044). Conclusion: Increased LA volume and impaired LA active emptying function was associated with PAF in untreated hypertensive patients. Longer hypertensive period is associated with PAF.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados