Fatores de risco para mediastinite após cirurgia de revascularização miocárdica

AUTOR(ES)
FONTE

Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

DATA DE PUBLICAÇÃO

2011

RESUMO

OBJETIVO: A mediastinite é uma complicação grave da esternotomia mediana, estando associada a significativa morbidade e mortalidade. O objetivo deste estudo é identificar fatores de risco para mediastinite em pacientes submetidos à cirurgia de revascularização miocárdica (CRM), sem o uso bilateral da artéria torácica interna (ATI), na Divisão de Cirurgia Cardiovascular do Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco - PROCAPE. MÉTODOS: Estudo retrospectivo compreendendo 500 pacientes consecutivos operados entre maio de 2007 e abril de 2010. Avaliaram-se 10 variáveis pré-operatórias, sete variáveis intraoperatórias e sete variáveis pós-operatórias possivelmente implicadas no desenvolvimento de mediastinite. Aplicaram-se análises univariada e multivariada por regressão logística. RESULTADOS: A incidência de mediastinite foi de 5,6% (n = 28), com taxa de letalidade de 32,1% (n = 9). Na análise multivariada por regressão logística, cinco variáveis permaneceram como fatores de risco independentes: obesidade (OR 2,60; IC 95% 1,1-6,68), diabetes (OR 2,71; IC 95% 1,18-6,65), tabagismo (OR 2,10; IC 95% 1,12-4,67), uso de ATI pediculada (OR 5,17; IC 95% 1,45-18,42) e CRM com circulação extracorpórea (OR 2,26, IC 95% 1,14-5,85). CONCLUSÕES: Este estudo identificou os seguintes fatores de risco independentes para mediastinite após CRM: obesidade, diabetes, tabagismo, uso de ATI pediculada e CRM com circulação extracorpórea.

ASSUNTO(S)

fatores de risco mediastinite revascularização miocárdica

Documentos Relacionados