Estudo in vitro da liberação controlada de clorexidina, incorporada em filme de quitosana, para potencial aplicação na cavidade oral

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

08/02/2011

RESUMO

Uma das maiores dificuldades para o sucesso do tratamento de patologias na cavidade bucal é a diluição e a rápida eliminação dos fármacos devido principalmente à ação da saliva. Sendo assim, os dispositivos de liberação controlada de fármacos são importantes na tentativa de prolongar a sua retenção na cavidade bucal. O uso de sistemas bioadesivos podem também reduzir a freqüência de aplicação e a quantidade de fármaco administrada, o que pode melhorar a adesão e aceitação do paciente, além de reduzir os efeitos adversos. A quitosana é um polímero natural, biologicamente seguro e tem sido proposto para esta aplicação. Neste estudo, o digluconato de clorexidina foi utilizado, por ser amplamente usado na clínica odontológica, devido à sua atividade contra vários microrganismos. O objetivo deste estudo foi formular um sistema polimérico a partir da quitosana, para a liberação controlada de clorexidina com potencial aplicação na cavidade oral. Os filmes de quitosana incorporados com diferentes concentrações de clorexidina, reticulados com glutaraldeído e não reticulados foram desenvolvidos, caracterizados e analisados in vitro para avaliar semi quantitativamente a liberação e a atividade antimicrobiana. Na análise qualitativa dos filmes foi observado um alto grau de intumescimento nos filmes não reticulados acarretando um grande aumento de volume dos mesmos. Avaliando os espectros de FTIR foi verificada a presença da banda 830-805 cm-1, que corresponde ao CH- ligado a anel aromático, característica da clorexidina. As imagens do MEV mostraram um filme na maior parte homogêneo, porém com alguns pontos mais claros, que a análise no EDS mostrou apresentar a mesma composição química do restante do filme, contudo com uma maior intensidade da banda do cloro. No estudo foi detectada uma liberação da clorexidina durante 8 horas a partir da membrana tripla de quitosana reticulada e o teste de difusão em ágar mostrou que a clorexidina continuou ativa após sua incorporação ao filme de quitosana.

ASSUNTO(S)

engenharia metalúrgica teses. ciência dos materiais teses.

Documentos Relacionados