Estruturas cristalinas e moleculares de indóis 1,3- substituídos

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

30/10/2012

RESUMO

Este trabalho é composto por 7 capítulos. No capítulo 1 encontra-se uma descrição dos problemas aqui abordados, começando com uma breve história sobre o desenvolvimento da cristalografia por difração de raio X, passando pelas descrições de cristais, celas unitárias e cocristais e, finalizando com os conceitos apresentados pela química supramolecular e pela engenharia de cristais, juntamente com a descrição dos compostos estudados, além de uma sucinta abordagem sobre a utilização de estudos computacionais feitos em paralelo com os estudos cristaloquímicos. No capítulo 2 estão descritos os objetivos do trabalho. O capítulo 3 inclui os procedimentos experimentais que foram utilizados para determinar as estruturas cristalinas e moleculares, bem como os estudos de modelagem realizados. No capítulo 4 estão descritos e discutidos os resultados. As estruturas cristalinas dos dois indóis 1,3-substituídos: 3-Etenil-1-(4-metilfenilsulfonil)-1H-indol (composto 1) e 3-Formil-1-(4-metilfenilsulfonil)-1H-indol (composto 2) indicam que ambos compostos possuem duas moléculas independentes na unidade assimétrica, ou seja, Z >1. Sendo que para o composto 1 as duas moléculas são muito similares e para o composto 2 as moléculas são rotâmeras. Os cálculos de modelagem molecular indicam que os rotâmeros possuem a mesma energia e que a barreira rotacional de interconversão de um rotâmero em outro está entre 2,0 a 3,0 kcal.mol-1. Em decorrência dessa baixa energia as duas conformações devem coexistir em solução e quando há a cristalização, elas têm a mesma probabilidade de cristalizar. No capítulo 5 são apresentadas as conclusões do trabalho. No capítulo 6 as referências bibliográficas são apresentadas e no capítulo 7 uma cópia do trabalho publicado pode ser encontrada.

ASSUNTO(S)

química cristalográfica cristalografia raio x - difração modelagem molecular quimica

Documentos Relacionados