Effects of intermittent fasting on metabolism in men

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Assoc. Med. Bras.

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/03/2013

RESUMO

Esta revisão traz uma análise de dados disponíveis na literatura sobre o impacto do jejum intermitente, uma modalidade de intervenção nutricional, em diferentes aspectos do metabolismo. A epidemia de anormalidades metabólicas, como obesidade, síndrome metabólica e diabetes mellitus tipo 2, tem ocasionado um aumento na prevalência de doenças cardiovasculares, condições em que os indivíduos afetados apresentam impor tantes melhorias advindas de modificação nos hábitos alimentares. Estudos experimentais recentes têm elucidado a modulação do metabolismo por jejum intermitente. Testes com animais têm mostrado alterações positivas no metabolismo glicídico (valores menores de glicemia e insulinemia) e lipídico (redução no volume de gordura visceral e aumento nos valores de adiponectina plasmática), além de uma maior resistência ao estresse. Apesar dos estudos disponíveis apresentarem populações muito reduzidas, observaram-se resultados positivos com esta intervenção também na saúde humana. Os resultados indicam melhorias no perfil lipídico, redução de respostas inflamatórias, com redução na liberação de adipocinas inflamatórias e alterações na expressão de genes relacionados com a resposta inflamatória e de outros fatores. Em indivíduos obesos observou-se uma melhor adesão ao jejum intermitente em relação a intervenções tradicionais (restrição calórica), além da redução no estresse oxidativo desta população. Dessa maneira, por se tratar de uma intervenção viável e acessível para a maioria dos indivíduos, novos estudos clínicos são necessários para testar a eficácia desta intervençãonaprevenção e no controle de doenças metabólicas e cardiovasculares.This review analyzes the available literature on the impact of intermittent fasting (IF), a nutritional intervention, on different aspects of metabolism. The epidemic of metabolic disturbances, such as obesity, metabolic syndrome (MS), and diabetes mellitus type 2 has led to an increase in the prevalence of cardiovascular diseases, and affected patients might significantly benefit from modifications in nutritional habits. Recent experimental studies have elucidated some of the metabolic mechanisms involved with IF. Animal models have shown positive changes in glucose (lower plasma glucose and insulin levels) and in lipid metabolism (reduced visceral fat tissue and increased plasma adiponectin level), and an increased resistance to stress. Despite the limited number of samples studied, positive results have been reported on the impact of IF for human health. IF is reported to improve the lipid profile; to decrease inflammatory responses, reflected by changes in serum adipokine levels; and to change the expression of genes related to inflammatory response and other factors. Studies on obese individuals have shown that patient compliance was greater for IF than other traditional nutritional approaches (calorie restriction), and IF was found to be associated with low oxidative stress. Recent reports suggest that IF exerts a positive impact on the metabolic derangements commonly associated with cardiovascular diseases, and that it may be a viable and accessible intervention for most individuals. Therefore, further clinical studies are essential to test the effectiveness of IF in preventing and controlling metabolic and cardiovascular diseases.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados