Efeitos do método isostretching sobre parâmetros morfológicos e sobre um conjunto de testes motores em idosas

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. bras. cineantropom. desempenho hum.

DATA DE PUBLICAÇÃO

30/09/2013

RESUMO

O treinamento resistido de intensidade leve e moderada parece eficaz em prover importantes melhorias sobre a força, o equilíbrio e a funcionalidade em idosos. O objetivo do presente estudo foi analisar os efeitos de 12 semanas de treinamento do Método Isostretching sobre a capacidade funcional e arquitetura muscular em idosas. A amostra foi de 25 voluntárias (n=25), divididas em um grupo controle (GC; n=11; 62,3 ± 1,9 anos; 1,58 ± 0,06m; 73,4 ± 1,4kg) que prosseguiu suas atividades físicas habituais e um grupo experimental (GE; n=14; 64,2 ± 4,3anos; 1,56 ± 0,05 m; 74,2 ± 1,6kg) que realizou um programa de exercícios de isostretching. As avaliações compreenderam Timed Up and Go -TUG, avaliação de Tinetti e avaliação dos parâmetros morfológicos por meio da Ultrassonagrafia. Os resultados mostraram que o GE apresentou uma melhora (p<0,05) tanto no TUG quanto no Tinetti. Nos parâmetros morfológicos do vasto lateral no grupo GE observou-se: aumento médio de 3.6 mm do comprimento do fascículo em relaxamento (p<0,05; ES=1,15), em contração isométrica aumento de 4,9 mm (p<0.05; ES=1,94); no ângulo de penação na condição relaxada, um aumento de 16% (p<0.05; ES=0,70), em contração isométrica, aumento de 12% (p<0,05; ES=0,50); já na espessura (p<0,05; ES=0,52) aumento de 8% relaxado, em contração isométrica (p<0,05; ES=0,43) de 9%. O GC não apresentou alterações significativas. O treinamento isométrico por meio do isostretching promoveu alterações nos parâmetros morfológicos musculares e melhorou as capacidades funcionais em idosas.Moderate intensity resistance training seems to be effective in providing significant improvements on strength, balance and function in the elderly. This study aimed to analyze the effect of a 12-week isostretching training on functional capacity and muscle architecture in elderly women. The sample included 25 volunteers (n = 25) divided into a control group (CG, n = 11, 62.3 ± 1.9 years old, 1.58 ± 0.06 m, 73.4 ± 1.4 kg) that followed their physical activity habits and an experimental group (EG, n = 14, 64.2 ± 4.3 years, 1.56 ± 0.05 m, 74.2 ± 1.6 kg) that was submitted to an isostretching program. The following assessments were used: Timed Up and Go-TUGT, Tinetti balance test and evaluation of morphological parameters through ultrasound imaging technique. The results showed that the EG improved (p <0.05) in both TUGT and Tinetti. In the morphologic parameters of the vastus lateralis muscle in the EG, we observed the following: mean increase of 3.6 mm in length issue relaxation (p <0.05, ES = 1.15); increase of 4.9 mm in isometric contraction (p <0.05; ES = 1.94); increase of 16% in the pennation angle in the relaxed condition (p <0.05; ES = 0.70); increase of 12% in isometric contraction (p <0.05; ES = 0.50); increase of 8% in thickness in the relaxed condition (p <0.05, EF = 0.52); and increase of 9% in isometric contraction (p <0.05, EF = 0.43). The GC did not show any significant changes. The isometric training through the isostretching method promoted changes in the morphological and muscle parameters and also improved the functional abilities in elderly women.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados