Efeitos da crioterapia, estimulação elétrica transcutânea e da sua associação na atividade elétrica do nervo femoral em ratos

AUTOR(ES)
FONTE

Revista Brasileira de Fisioterapia

DATA DE PUBLICAÇÃO

2008

RESUMO

CONTEXTUALIZAÇÃO: Relatos clínicos sugerem que a associação terapêutica entre crioterapia (CRIO) e estimulação elétrica transcutânea (TENS) favorece analgesia local. OBJETIVO: Avaliar a atividade elétrica do nervo femoral (ANF), em repouso e durante a aplicação isolada, e associada de TENS e CRIO em ratos. MÉTODOS: Foram utilizados nove ratos (Wistar) adultos com peso de ±300g. Após anestesia (Uretana, 1mg/g i.p.), o nervo femoral direito foi isolado para registro da ANF basal e durante as modalidades analgésicas. Depois da fixação dos eletrodos no terço inferior da coxa direita, foram aplicadas TENS (50Hz, 10mÅ) por cinco minutos, CRIO isolada e terapia associada (TA) por dez minutos. Os registros contínuos da ANF foram realizados por meio de um amplificador de potenciais de ação, avaliados posteriormente no primeiro, quinto e décimo minuto em unidades arbitrárias (Ua). Utilizaram-se a análise de variância (ANOVA) uma via e o teste de Dunnett como post-hoc. Valores expressos como média ±EPM e as diferenças fixadas em p<0,05. RESULTADOS: A atividade do nervo femoral aumentou (p<0,01) na TENS (0,358±0,09Ua) e na TA (0,230±0,07Ua) e ficou inalterada após CRIO (0,063±0,003Ua), em relação ao basal inicial (0,009±0,0003Ua). No quinto minuto, observou-se uma significante (p<0,05) atenuação da ANF na modalidade TA (0,144±0,027Ua) versus TENS isolada (0,324±0,089Ua). CONCLUSÕES: A associação entre as modalidades analgésicas não-invasivas CRIO e TENS atenua significativamente os efeitos produzidos pela TENS isoladamente sobre a ANF de ratos anestesiados.

ASSUNTO(S)

tens atividade nervosa crioterapia fisioterapia analgesia

Documentos Relacionados