Diversificação evolutiva em anfíbios amazônicos (Allobates, Dendrobatoidea): caracteres genéticos, morfológicos e comportamentais / Evolutionary diversification in Amazonian amphibians (Allobates, Dendrobatoidea): genetic, morphological and behavioral characters

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

19/09/2012

RESUMO

Esse estudo objetivou elucidar mecanismos históricos e geográficos responsáveis pela diversificação evolutiva em três espécies de Allobates ao longo de suas áreas de distribuição na Amazônia brasileira. No primeiro capítulo, avaliou-se a potencial importância dos caracteres acústicos do canto de anúncio de Allobates paleovarzensis na discriminação entre indivíduos e populações. Além disso, foram acessados os efeitos de fatores individuais, ambientais e geográficos na variabilidade dos componentes deste sinal sexual. Nenhum dos caracteres acústicos analisados foi indicado como potencial sinal para reconhecimento social ou seleção sexual na espécie estudada. Lado do rio e distância geográfica não afetaram significativamente a variabilidade acústica, indicando que forças evolutivas estabilizadoras locais devem ser importantes no processo de diferenciação do sinal sexual. O segundo capítulo apresentou a caracterização do grau de variabilidade de cada componente acústico do sinal sexual entre populações e entre as espécies irmãs e alopátricas Allobates nidicola e A. masniger. Em adição, testaram-se os efeitos do tamanho corporal, da temperatura ambiental, e da distância geográfica na variabilidade acústica do sistema de estudo. Propriedades espectrais foram mais distintivas que propriedades temporais entre populações e entre espécies, com maior distinção ao nível interpopulacional quando comparado ao nível interespecífico. Houve acentuada plasticidade em caracteres temporais do canto de anúncio. O efeito do Rio Madeira como barreira foi significativo entre todas as variáveis acústicas analisadas. A ausência de efeitos de isolamento por distância indica que pressões seletivas estabilizadoras locais devem ser mais importantes que a deriva genética na evolução da diferenciação do canto de anúncio. No terceiro capítulo, investigaram-se mecanismos evolutivos e fatores geográficos levando à especiação, avaliando-se as relações genealógicas, a história filogeográfica e a divergência de caracteres genéticos, morfológicos e comportamentais entre populações das três espécies. Foi observada significativa estruturação genética populacional. A distribuição da variabilidade genética nos dois sistemas de estudo exibiu assinaturas congruentes com a transposição de grandes rios amazônicos. A efetividade do baixo Rio Madeira como uma barreira ao fluxo gênico foi maior do que a do médio Amazonas. Uma grande porção da diferenciação genética foi correlacionada com distância geográfica linear, evidenciando a importante atuação da deriva genética na diversificação do marcador mitocondrial estudado. Os caracteres acústicos e morfológicos não responderam às distâncias lineares entre populações. Em adição, análises de função discriminante falharam em classificar corretamente os indivíduos analisados em seus agrupamentos genéticos de acordo com seus fenótipos. Esse resultado é surpreendente levando-se em consideração a alta estruturação genética observada, e sugere que limitações evolutivas podem estar impedindo a diferenciação fenotípica. Em geral, a diversificação evolutiva refletiu efeitos de isolamento por distância e de barreiras vicariantes, e a contribuição relativa de cada fator diferiu entre os dois sistemas estudados.

ASSUNTO(S)

amazônia anura bioacústica biogeografia dna mitocondrial filogeografia ecologia

Documentos Relacionados