Distribuição espacial de acidentes escorpiônicos em Belo Horizonte, Minas Gerais, 2005 a 2009

AUTOR(ES)
FONTE

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-06

RESUMO

Acidentes por escorpião constituem problema de saúde pública em Belo Horizonte. Realizou-se um estudo epidemiológico observacional retrospectivo para analisar a frequência e distribuição espacial dos acidentes escorpiônicos em Belo Horizonte, entre 2005 e 2009, e associá-las às categorias de risco classificadas pelo Índice de Vulnerabilidade à Saúde (IVS), um índice socioeconômico regional composto. Foram utilizados dados de notificação do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) e Sistema de Vigilância Epidemiológica (SISVE), referentes aos anos de 2008 e 2009. Para o período de 2005 a 2007, foi necessário o resgate de dados das fichas clínicas do Hospital João XXIII (HPSJXXIII) correspondentes às variáveis encontradas no SINAN e SISVE, uma vez que os mesmos não estavam digitalizados nos referidos sistemas de informação. Para georreferenciamento e análise espacial, foi utilizada a base geográfica EndGeo, o aplicativo de mapeamento MapInfo versão 10.0 e os programas Hotspot Detective e SatScan. Entre 2005 e 2009, ocorreram em Belo Horizonte 2.769 casos de acidentes por escorpião, o que representa uma incidência média de 22,4 casos por 100.000 habitantes. Do total de casos, 1.924 (69,5%) foram georreferenciados e houve predomínio de incidência em dois Distritos Sanitários (DS), com grande concentração de casos nas regiões de cemitérios do município. Foram detectados dois "clusters" no período, sendo um em 2005, nos DS Noroeste e Oeste, e outro entre 2006 e 2007, nos DS Noroeste e Nordeste. Não houve associação entre as áreas de maior incidência de escorpionismo e as áreas de maior risco à saúde classificadas pelo IVS. Com base nos resultados, conclui-se que há necessidade de melhorias no processo de notificação do agravo e que o mapeamento dos casos é uma ferramenta relevante capaz de embasar o direcionamento das ações educativas de controle para as áreas prioritárias de Belo Horizonte.Scorpion sting accidents are a public health problem in Belo Horizonte and veterinarians play an important role in its control program when based on capture, mapping of cases and educational actions with the population. A retrospective epidemiological study was done to analyze the frequency and spatial distribution of scorpion sting cases in Belo Horizonte, between 2005 and 2009, and to associate them with the Health Vulnerability Index (IVS), a regional and composed socio-economic index. Notification data of scorpion sting accidents were used from the National System of Notifiable Diseases (SINAN) and Epidemiological Surveillance System (SISVE) for years 2008 and 2009. For the period between 2005 and 2007 it was necessary to retrieve data from the clinical records of João XXIII Hospital (HPSJ XXIII) which were not digitalized in the referred information systems. For georeference and spatial analysis, geographic base EndGeo and features of the programs MapInfo version 10.0, Hotspot Detective and SatScan were used. Between 2005 and 2009 2769 cases of scorpionism, occurred in Belo Horizonte which represents an average incidence of 22.4 cases per 100,000 inhabitants. Among 1924 (69.5%) georeferenced cases, the highest incidence was observed in two Sanitary District (DS). A large concentration of cases was also observed in the areas of the city cemeteries. Two clusters were detected during this period, one in 2005, located in the Northwest and West DS, and another between 2006 and 2007 in the Northwest and Northeast DS. There was no association between higher incidence areas of scorpionism in Belo Horizonte and the areas of higher health risk classified by IVS. It is necessary to improve the reporting process regarding scorpion sting accidents. Another conclusion is that the mapping of cases is a relevant tool to base the targeting of educative actions to the priority areas of Belo Horizonte.

ASSUNTO(S)

agricultural sciences

Documentos Relacionados