Documento


Desempenho de cultivares de batata em solo infestado com Ralstonia solanacearum, raça 1

AUTOR(ES)
FONTE

Horticultura Brasileira

DATA DE PUBLICAÇÃO

01/11/1999

RESUMO

A reação de 28 cultivares de batata à murcha-bacteriana causada por Ralstonia (Pseudomonas) solanacearum, raça 1, biovar I, foi avaliada na Embrapa Hortaliças, Brasília (DF), no período de maio a agosto de 1998. O ensaio foi realizado em solo naturalmente infestado, em blocos ao acaso com três repetições e parcelas de seis plantas perfazendo 2,4 m². As cultivares Cruza 148 e Achat (resistentes) e Bintje (suscetível) foram utilizadas como controles. Foram feitas oito avaliações semanais da incidência da doença, iniciando-se 22 dias após o plantio, quando apareceram os primeiros sintomas, para o cálculo da Área Abaixo da Curva de Progresso da Doença (AACPD). Utilizando-se a análise de agrupamento, foi possível a distinção de cinco grupos quanto aos níveis de resistência/suscetibilidade. As cultivares que apresentaram menores níveis de doença (grupo I: AACPD de 0,00 a 256,90) foram Cruza 148, Cruza 148 mutante, Araucária e Granola, que também tiveram as maiores produtividades comercial (tubérculos > 50mm de diâmetro) e total (13,3 e 25,1 t/ha; 10,4 e 21,9 t/ha; 11,4 e 18,8 t/ha e 14,6 e 16,4 t/ha, respectivamente). Uma correlação significativa negativa (P<0,01) foi observada entre AACPD e produtividade comercial (r = - 0,76) e entre AACPD e produtividade total (r = - 0,83).

ASSUNTO(S)

solanum tuberosum pseudomonas solanacearum murcha-bacteriana resistência




Comentários