Documento


Denervação simpática renal e qualidade de vida

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Bras. Cardiol. Invasiva

DATA DE PUBLICAÇÃO

28/02/2013

RESUMO

INTRODUÇÃO: A denervação simpática renal (DSR) é estratégia promissora no tratamento da hipertensão arterial resistente. Nenhum estudo avaliou o efeito da DSR na qualidade de vida em nosso meio, objetivo deste estudo. MÉTODOS: O questionário EuroQol-5 Dimensions (EQ-5D-5L) foi utilizado para avaliar a qualidade de vida de 10 pacientes submetidos a DSR, sendo aplicado antes e 3 meses após o procedimento. RESULTADOS: A média de idade foi de 47,3 ± 12 anos e 90% dos pacientes eram do sexo feminino. A pressão arterial basal foi de 187 ± 37,5/104 ± 18,5 mmHg e o número de anti-hipertensivos utilizados foi de 7,6 ± 1,3. Antes do procedimento, o valor atribuído ao estado de saúde foi de 37,5 ± 22,7, aumentando aos 3 meses para 70,5 ± 20,9 (P = 0,01). No seguimento, além da diminuição do número de anti-hipertensivos (7,6 ± 1,3 vs. 6 ± 2,2; P = 0,05), foi observada tendência a queda dos níveis da pressão sistólica (187 ± 36 mmHg vs. 170 ± 44 mmHg; P = 0,10) e da pressão diastólica (104 ± 18 mmHg vs. 98 ± 20 mmHg; P = 0,20). A melhora do estado de saúde resultou da redução de problemas relacionados a mobilidade, atividades usuais, dor/desconforto e ansiedade/depressão. A magnitude da redução da pressão arterial não se associou à melhora da qualidade de vida em todos os pacientes. Por outro lado, aqueles que experimentaram redução do número de anti-hipertensivos relataram melhor estado de saúde. CONCLUSÕES: Hipertensos resistentes apresentam baixos escores de estado de saúde. A DSR apontou melhora da qualidade de vida na maioria dos pacientes. Estudos maiores são necessários para confirmar benefícios consistentes.BACKGROUND: Renal sympathetic denervation (RSD) is a promising strategy in the treatment of resistant hypertension. No studies have assessed the effect of RSD on quality of life in our country, which was the aim of this study. METHODS: The EuroQol-5 Dimensions questionnaire (EQ-5D-5L) was chosen to evaluate quality of life in 10 patients undergoing RSD, and it was applied before and 3 months after the procedure. RESULTS: Mean age was 47.3 ± 12 years and 90% of the patients were female. Baseline blood pressure was 187 ± 37.5/104 ± 18.5 mmHg and the number of antihypertensive drugs was 7.6 ± 1.3. Before the procedure, the value assigned to health status was 37.5 ± 22.7, increasing at 3 months to 70.5 ± 20.9 (P = 0.01). In the follow-up, in addition to a decrease in the number of antihypertensive drugs (7.6 ± 1.3 vs. 6 ± 2.2; P = 0.05), a trend towards reduced levels of systolic blood pressure (187 ± 36 mmHg vs 170 ± 44 mmHg; P = 0.10) and diastolic blood pressure (104 ± 18 mmHg vs 98 ± 20 mmHg; P = 0.20) was observed. Health status improvement resulted from a reduction of problems related to mobility, usual activities, pain/discomfort and anxiety/depression. The magnitude of blood pressure reduction was not associated with improved quality in all of the patients. On the other hand, those who had a decrease in the number of antihypertensive drugs reported a better health status. CONCLUSIONS: Patients with resistant hypertension have poor health status scores. RSD improved quality of life in most patients. Further studies are required to confirm consistent benefits.

ASSUNTO(S)

health sciences




Comentários