Critical limits of soil penetration resistance in a rhodic Eutrudox

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Bras. Ciênc. Solo

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/01/2014

RESUMO

A resistência do solo à penetração é um importante indicador da qualidade física do solo, e o limite crítico de 2 MPa vem sendo utilizado para caracterizar a qualidade física do solo, tanto em sistema plantio direto como em cultivos convencionais. Objetivou-se com este trabalho verificar a influência de diferentes sistemas de manejo do solo e modelos de produção sobre a SPR em um Latossolo Vermelho distroférrico. O experimento foi conduzido em um delineamento de blocos ao acaso, em esquema fatorial 5 × 2 (manejos do solo × modelos de produção), com quatro repetições. Os manejos do solo foram: sistema preparo convencional; sistema preparo mínimo escarificado a cada ano; sistema preparo mínimo escarificado a cada três anos; sistema plantio direto contínuo por 11 anos; e sistema plantio direto contínuo por 24 anos. O fator modelo de produção foi composto por: rotação e sucessão de culturas. A resistência do solo à penetração foi determinada em 20 amostras indeformadas de solo por tratamento e por camada (0,0-0,10; 0,10-0,20 e 0,20-0,30 m), as quais foram equilibradas nos potenciais matriciais de -6, -10, -33, -100 e -500 kPa. Foi determinada a resistência do solo à penetração no conteúdo de água volumétrico equivalente à fração de água disponível às plantas de 0,7. Não houve diferenças de resistência do solo à penetração entre os modelos de produção. A detecção de diferenças de resistência do solo à penetração entre os sistemas de manejo do solo foi dependente do potencial matricial de água no solo, em que as amostras foram equilibradas. O limite crítico de resistência do solo à penetração usualmente utilizado de 2 MPa deve ser mantido para o sistema preparo convencional. Todavia, esse valor foi inadequado para a caracterização da qualidade física do Latossolo Vermelho distroférrico, sob sistema plantio direto e, ou, no sistema de preparo mínimo. Independentemente do modelo de produção, os limites crítico de resistência do solo à penetração devem ser ampliados para 3 MPa, no sistema preparo mínimo com escarificação, e para 3,5 MPa, no sistema plantio direto.Soil penetration resistance is an important indicator of soil physical quality and the critical limit of 2 MPa has been widely used to characterize the soil physical quality, in both no-tillage and conventional systems. The aim of this study was to quantify the influence of different tillage and cropping systems on the soil penetration resistance in a Rhodic Eutrudox. The experiment was carried out in a 5 × 2 factorial, completely randomized block design (tillage systems vs cropping systems), with four replications. The tillage systems consisted of: conventional tillage disk harrow; minimum tillage with annual chiseling; minimum tillage with chiseling every three years; no-tillage for 11 consecutive years; and no-tillage for 24 consecutive years. The factor cropping systems was represented by: crop rotation and crop succession. The soil penetration resistance (SPR) was determined in 20 soil samples per treatment and layer (0.0-0.10; 0.10-0.20 and 0.20-0.30 m) for each soil matric potential: -6, -10, -33, -100, -500 kPa. The SPR was determined at a volumetric soil water content equivalent to the fraction of plant-available water of 0.7. There were no differences of soil penetration resistance between the two cropping systems. Differences in soil penetration resistance among tillage systems were related to the matric potential at which the samples were equilibrated. The critical SPR limit of 2 MPa normally used for conventional tillage should be maintained. However, this value of 2 MPa is inappropriate for the physical quality characterization of Rhodic Eutrudox under no-tillage and/or minimum tillage with chiseling. Regardless of the cropping systems, the critical SPR limit should be raised to 3 MPa for minimum tillage with chiseling and to 3.5 MPa for no-tillage.

ASSUNTO(S)

agricultural sciences

Documentos Relacionados