Complexos de Cu(II) de algumas fluorquinolonas: sínteses, atividade anti-T.cruzi e investigação do mecanismo de ação

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

18/07/2011

RESUMO

A doença de Chagas, causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, é uma parasitose endêmica com cerca de 12 milhões de casos na América Latina. As duas únicas drogas usadas para o tratamento da doença são o Nifurtimox e a Benznidazole, que causam sérios efeitos colaterais. As limitações da corrente quimioterapia para esta enfermidade justificam a busca por novos fármacos e estimulam o desenho, síntese e pesquisa de agentes que possam ser efetivos e seletivos contra este parasito, mas que exerçam baixa toxicidade e cuja produção envolva baixo custo. As fluorquinolonas, uma importante classe de antibióticos sintéticos, tiveram sua atividade antiparasitária relatada na literatura, especialmente frente a Leishmania panamensis. Levando-se em consideração que complexos metálicos podem ser mais ativos que seus ligantes livres, preparamos complexos de Cu(II) de norfloxacina (NOR), levofloxacina (LEVO) e esparfloxacina (SPAR), contendo ou não os seguintes coligantes: piridina (py), 2,2 -bipiridina (bipy) ou 1,10-fenantrolina (fen) e testamos sua atividade frente as formas tripomastigotas do T.cruzi. Doze complexos foram obtidos do tipo [CuCl2(H2O)(L)], [CuCl2(py)(L)], [CuCl(bipy)(L)]Cl e [CuCl2(fen)(L)] (L = NOR, LEVO e SPAR), nos quais os ligantes coordenam-se ao íon Cu(II) na forma zwiteriônica e de modo bidentado através da carbonila cetônica e da carbonila do ácido carboxílico. Dentre esses compostos aqueles contendo fenantrolina mostraram ser os mais promissores como agentes tripanocipas. As propriedades de ligação dos complexos com o ADN foram investigadas através de espectroscopia de UV-vis. A afinidade dos complexos pela albumina bovina (BSA) foi igualmente estudada, por espectroscopia de fluorescência, uma vez que essa proteína é responsável pelo transporte de drogas nos mamíferos. As constantes de interação droga-ADN são da ordem de 103 a 105 M-1 e a interação ocorre via intercalação com clivagem da estrutura secundaria do ADN. As constantes de interação droga-BSA são da ordem de 105 e 106 M-1, ou seja, as drogas estudadas têm maior afinidade pela BSA do que pelo ADN. Em resumo, acreditamos que com esse trabalho contribuímos para um melhor conhecimento da química das fluorquinolonas e de seus complexos metalicos e de suas diversas propriedades antiparasitárias.

ASSUNTO(S)

quimica inorganica  teses.   complexos metálicos teses.   tripanossoma cruzi  teses.   química bioinorgânica teses.   antibióticos  teses.  

Documentos Relacionados