Comparação entre diferentes modelos de periodização sobre a força e espessura muscular em uma sequência dos menores para os maiores grupamentos musculares

AUTOR(ES)
FONTE

Rev Bras Med Esporte

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/07/2013

RESUMO

INTRODUÇÃO: Estudos comparando modelos de periodização em sequências de treinamento resistido (TR) realizadas do menor para o maior grupo muscular sobre as alterações musculares em indivíduos destreinados em TR são escassos. OBJETIVO: Comparar o efeito da periodização ondulatória (PO) e da periodização linear (PL) sobre a força máxima e hipertrofia muscular em uma sequência de execução dos exercícios dos menores para os maiores grupamentos musculares. MÉTODOS: Vinte e nove homens não experientes em (TR) foram distribuídos aleatoriamente em três grupos: PO (n =10), PL (n = 13) e grupo controle (GC, n = 9). Os indivíduos realizaram o teste de uma repetição máxima (1RM) nos exercícios rosca bíceps (RB), rosca tríceps (RT), puxada aberta (PA) e supino reto (SR), contração isométrica voluntária máxima (CIVM) e espessura muscular (EM) para flexores de cotovelo (FC) e extensores de cotovelo (EC) antes e após o período de 12 semanas de treinamento. O grupo PO variou o volume e a intensidade do treinamento diariamente, e o grupo PL a cada quatro semanas. O GC não realizou TR. Foi realizada uma ANOVA de dois caminhos com medidas repetidas, e cálculo do tamanho do efeito (TE), nas cargas obtidas para analisar o efeito do tratamento sobre as variações pré- e pós-período de TR. RESULTADOS: Os principais achados do estudo foram: 1) o grupo PO apresentou maior TE para 1RM dos exercícios RT e RB e para EM dos FC e EC quando comparado ao grupo PL; 2) não houve diferença no TE para os exercícios SR e PA que finalizavam a sessão. CONCLUSÃO: Ambos os modelos de periodização adotados foram eficientes para promover aumentos de força e hipertrofia muscular. Contudo, segundo o cálculo do TE, a PO promoveu maior incremento da força máxima nos exercícios que iniciaram a sessão e hipertrofia muscular.INTRODUCTION: Studies comparing periodization models in sequences that begin with small muscle group and progressed toward large muscle group in untrained subjects in resistance training are scarce. OBJECTIVE: The purpose of this study was to compare the effects of ondulatory periodization and linear periodization models on maximum strength and muscular hypertrophy in a muscle group increasing exercise sequence. METHODS: Twenty-nine men with no experience in RT were randomly assigned into three groups: ondulatory periodization (OP, n = 10), linear periodization (LP, n = 13), and control group (CG, n = 9). The individuals performed 1RM tests in four exercises: biceps curl (BC), triceps extension (TE), lat pull down (LPD) and bench press (BP) and evaluations of maximum voluntary isometric contraction (MVIC), muscle thickness of elbow flexors (EF) and elbow extensors (EE) before and after the 12 weeks of training were carried out. The OP group varied in volume and intensity on a daily basis, while LP group varied every four weeks. The CG did not perform ST. A two-way ANOVA with repeated measures and the effect size (ES) were used to analyze muscle thickness, 1RM load improvement in each of the four exercises and the MVIC between groups. RESULTS: The major findings of this study were: 1) OP showed major ES for 1RM of BC and TE and for muscle thickness of EF and EE when compared with LP. 3) The ES data did not show significant differences for BP and LPD which finished the training session. CONCLUSIONS: We conclude that both periodization models were efficient at improving strength gains and muscular growth. However, ES data show that OP promotes major gains in strength for exercises that are positioned at the beginning of the session and hypertrophy.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados