Cárie dentária em adolescentes em uma região desfavorecida brasileira

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

29/07/2011

RESUMO

Esta tese tem como foco a manifestação da cárie dentária em uma região carente brasileira. Um estudo ecológico foi desenvolvido para avaliar a associação entre o percentual de exodontias de dentes permanentes em relação aos procedimentos individuais odontológicos realizados no ano de 2007 e os indicadores socioeconômicos e a oferta de serviços odontológicos nos 52 municípios do Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, Brasil. Os dados foram analisados no programa SPSS 18.0. Foi realizada a análise fatorial das dezessete variáveis e o teste T de Student foi utilizado para verificar a relação entre os componentes fatoriais formados e a variável dependente, com significância estabelecida em 5%. Foram extraídos seis fatores que explicaram, no conjunto, 73,5% da variância total. As desigualdades na distribuição de renda (p=0,031) e a cobertura da Estratégia de Saúde da Família (p=0,015) tiveram significativamente maior peso para explicar a diferença na proporção de exodontias realizadas nos municípios estudados. Os fatores sociais e de organização do serviço de saúde bucal explicaram a mutilação dentária nessa região. Um estudo transversal foi conduzido para avaliar a prevalência, a distribuição da cárie dentária, a associação entre as condições socioeconômicas, o acesso e a utilização dos serviços de saúde bucal em adolescentes de 15 a 19 anos que vivem nessa região. Os índices SiC, CPOD e outros indicadores de morbidade bucal avaliaram a experiência de cárie. Análises bivariadas e modelos de regressão de Poisson com variância robusta foram desenvolvidas, considerando o nível de significância de igual a 0.05. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa envolvendo Seres Humanos. Foram examinados 450 adolescentes entre abril e agosto de 2010. O percentual de livre de cáries foi de 20,9%, o índice CPOD médio encontrado foi igual a 4,5 (± 4,30) e o valor do índice SiC foi de 9,66 (±3,213). A análise multivariada mostrou uma maior prevalência de cárie dentaria entre adolescentes que não estudam (p=0,001), entre os que relataram ter visitado o dentista há menos de um ano (p=0,012) e que consideram necessitar de tratamento odontológico (p= 0,001). Apesar dos baixos indicadores socioeconômicos, a experiência de cárie dentaria dos adolescentes dessa região é próxima a encontrada para a mesma faixa etária no Brasil em 2010. No entanto observa-se que a maior carga da doença está concentrada em um grupo dos adolescentes.

ASSUNTO(S)

cáries dentárias - teses odontologia preventiva - teses cuidados primários de saúde - teses saúde bucal - teses Índice cpo decs prevalência decs indicadores econômicos decs indicadores sociais decs cárie dentária/prevenção &controle decs

Documentos Relacionados