Caracterização molecular de variedades crioulas de abóboras com marcadores microssatélites

AUTOR(ES)
FONTE

Horticultura Brasileira

DATA DE PUBLICAÇÃO

01/09/2012

RESUMO

Dentre as cinco espécies de abóboras domesticadas, Cucurbita pepo apresenta a maior variabilidade para características de fruto, como cor, formato e tamanho. O Banco Ativo de Germoplasma de Cucurbitáceas da Embrapa Clima Temperado conta com 61 acessos desta espécie, todos estes, variedades crioulas cultivadas no sul do Brasil. Estas variedades crioulas fazem parte da cultura regional, na gastronomia, no artesanato e na ornamentação de ambientes. O objetivo deste trabalho foi avaliar a variabilidade genética entre e dentro de variedades crioulas de C. pepo cultivadas no Rio Grande do Sul, utilizando marcadores microssatélites. Foram avaliados 10 acessos de variedades crioulas de C. pepo. que apresentavam diferentes formatos e tamanhos de fruto, cores e texturas da casca. O DNA genômico foi extraído individualmente de cinco plantas de cada acesso. Foram analisados 40 locos de microssatélites. Destes, 34 amplificaram, identificando 100 alelos (variação de um a cinco alelos por loco). Dos locos analisados 85,3% foram polimórficos, evidenciando a variabilidade genética entre os acessos. A análise molecular da variância mostrou que 45,39% da variabilidade genética é atribuída à variação dentro dos acessos e 54,60% a diferenças entre acessos. Assim, apesar de haver variabilidade genética dentro dos acessos, a maior proporção da variabilidade em C. pepo encontra-se distribuída entre as diferentes variedades crioulas. A variação dentro dos acessos é explicada pela alogamia da espécie, pelo intercâmbio de sementes das variedades crioulas entre os agricultores e também pelos mesmos cultivarem mais de uma variedade de Cucurbita na mesma área.

ASSUNTO(S)

cucurbita pepo cucurbitaceae divergência genética recursos genéticos marcadores moleculares




Comentários