Avaliação de intervenções educativas na prescrição de medicamentos potencialmente perigosos, em três hospitais de Belo Horizonte

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

08/08/2011

RESUMO

Os erros de prescrição de medicamentos são causa de elevada morbimortalidade mundial constituindo-se em grave problema de saúde pública. OBJETIVOS: O objetivo principal da pesquisa foi avaliar o impacto de medidas educativas em prescrições de medicamentos potencialmente perigosos (MPPs) em três hospitais de Belo Horizonte, Brasil. METODOLOGIA: A fase 1 do estudo foi desenvolvida em 2007, quando foram analisados os erros de prescrição em todos os MPPs para a escolha de dois deles. Os MPPs escolhidos foram as heparinas não fracionadas (HNFs) e cloreto de potássio injetável (KCL) considerando-se a incidência de erros de prescrição e a possibilidade de dano ao paciente. Estudo experimental ou de intervenção, do tipo ensaio de comunidade hospitalar, foi feito aplicando-se materiais educativos impressos (MEI) em 2009 (fase 2); o mesmo tipo de estudo aleatorizado foi feito utilizando-se medidas multifacetadas (MM) em um hospital (caso) e não foram aplicadas medidas nos outros dois (controles) em 2010 (fase 3). Os mesmos materiais foram aplicados nos três hospitais em 2009 sendo: panfletos, cartazes e banners, e as MM aplicadas em 2010 foram: convencimento de líderes locais, uso de padrão de prescrição para HNFs e KCL, utilização direcionada de MEI e orientação de prescritores nos locais de trabalho. A incidência de erros de prescrição com os dois MPP alvo foi analisa antes e após a aplicação das medidas educativas. Foi feito estudo univariado para verificar as diferenças entre hospitais e fases da pesquisa, utilizando-se os testes Qui-Quadrado e Fisher-Freeman-Halton. A confiabilidade da avaliação da legibilidade foi feita pelo teste de Kappa de Fleiss. A influência de cada variável independente (hospital, clínica, idade e sexo do paciente, tipo de intervenção, tipo de prescrição, fase do estudo, erros com os MPP´s alvo e adesão aos modelos sugeridos para prescrição) foi verifica a partir de regressão logística multivariada. RESULTADOS: Foram analisadas 2667 prescrições sendo 1987 (74,5%) de HNFs e 680 de KCL (25,5%) e encontrada incidência de 2160 (80,98%) erros. Quando analisados os MPPs separadamente foram verificados erros em 97,3% de prescrições de KCL ou 973/1000 e em 75,3% ou 753/1000 das prescrições de HNFs, sendo consideradas altas quando comparadas com outros estudos. O índice Kappa de Fleiss usado para avaliar a acurácia dos observadores, mostrou forte concordância entre os juizes (>0,75). A analise univariada mostrou associação com diminuição dos erros em todas as variáveis independentes. A regressão logística multivariada demonstrou significância estatística para as todas as variáveis independentes exceto sexo e idade. O modelo padrão de prescrição proposto para as HNFs foi aceito em 24,8% das prescrições com significativa diminuição dos erros de redação após sua aplicação. O modelo padrão de prescrição proposto para o KCL e para a prescrição manual de Nos e KCL não foram aceitos pelos prescritores. CONCLUSÕES: Os MEI e as MMs reduziram significativamente os erros nas prescrições das HNFs e não foram observados efeitos nas prescrições de KCL

ASSUNTO(S)

prescrição de medicamentos decs erros de medicação decs preparações farmacêuticas/administração &dosagem decs corpo clínico hospitalar decs sistemas de medicação no hospital decs medidas em epidemiologia decs dissertações acadêmicas decs dissertação da faculdade de medicina da ufmg. medicamentos.

Documentos Relacionados