Association between breastfeeding and breathing pattern in children: a sectional study

AUTOR(ES)
FONTE

J. Pediatr. (Rio J.)

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-07

RESUMO

OBJETIVO: determinar a prevalência da respiração bucal e associar o histórico de amamentação com os padrões de respiração em crianças. MÉTODOS: este foi um estudo observacional com 252 crianças de ambos os sexos, com idades entre 30-48 meses, que participaram de um programa de assistência odontológica para mães e recém-nascidos. Como um instrumento de coleta de dados, foi entregue um questionário semiestruturado para as mães das crianças com perguntas sobre a forma e a duração da amamentação e os hábitos bucais de sucção não nutritiva. Para determinar os padrões de respiração desenvolvidos nas crianças, foram utilizados o histórico médico e o exame clínico. Foi realizada uma análise estatística para determinar os efeitos de exposição no principal resultado (respiração bucal), e o índice de prevalência foi calculado com um intervalo de confiança de 95%. RESULTADOS: do total da amostra, 43,1% das crianças apresentaram respiração bucal, 48,4% foram amamentados exclusivamente até os seis meses de idade ou mais e 27,4% apresentaram hábitos de sucção não nutritiva. Foram encontradas associações estatisticamente significativas para uso de mamadeira (p < 0,001) e hábitos bucais de sucção não nutritiva (p = 0,009), com um aumento da probabilidade de as crianças apresentarem um padrão de respiração predominantemente bucal. Também foi observada uma associação estatisticamente significativa entre uma maior duração do aleitamento materno exclusivo e um padrão de respiração bucal apresentado pelas crianças. CONCLUSÃO: uma maior duração do aleitamento materno exclusivo diminui as chances de as crianças apresentarem um padrão de respiração predominantemente bucal. OBJECTIVE: to determine the prevalence of mouth breathing and to associate the history of breastfeeding with breathing patterns in children. METHODS: this was an observational study with 252 children of both genders, aged 30 to 48 months, who participated in a dental care program for mothers and newborns. As an instrument of data collection, a semi-structured questionnaire was administered to the children's mothers assessing the form and duration of breastfeeding and the oral habits of non-nutritive sucking. To determine the breathing patterns that the children had developed, medical history and clinical examination were used. Statistical analysis was conducted to examine the effects of exposure on the primary outcome (mouth breathing), and the prevalence ratio was calculated with a 95% confidence interval. RESULTS: of the total sample, 43.1% of the children were mouth breathers, 48.4% had been breastfed exclusively until six months of age or more, and 27.4% had non-nutritive sucking habits. Statistically significant associations were found for bottle-feeding (p < 0.001) and oral habits of non-nutritive sucking (p = 0.009), with an increased likelihood of children exhibiting a predominantly oral breathing pattern. A statistically significant association was also observed between a longer duration of exclusive breastfeeding and a nasal breathing pattern presented by children. CONCLUSION: an increased duration of exclusive breastfeeding lowers the chances of children exhibiting a predominantly oral breathing pattern.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados