As necessidades/expectativas de formação de professores em música da rede municipal de Santos

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/08/2012

RESUMO

Este texto trata das representações sociais de professores de Música e/ou daqueles que atuam no ensino de Música, na rede municipal de Santos, sobre as necessidades/ expectativas de formação frente aos desafios da implantação da Lei 11.769/08 (BRASIL, 2008), que trata da obrigatoriedade da música no currículo. Dentro de uma perspectiva histórica e normativa, recupera os caminhos da música na educação e na formação heterogênea dos professores que atuam nesta área. Apóia-se na teoria das representações sociais/TRS, de Moscovici (1978), para a análise das representações das necessidades/expectativas de formação dos professores da Rede Municipal de Ensino de Santos, a respeito da formação em Música e da aplicabilidade da Lei 11769/08. Também, há outros autores que contribuem para este estudo: Nóvoa (1992,1999) e Abdalla (2006, 2008 e 2010), na medida em que trazem contribuições para a área de formação de professores e para o entendimento das necessidades de formação; Willens (1979), Gainza (1964, 1977, 1982) e Snyders (1994), entre outros, em relação à prática do ensino de Música e às especificidades desta área de formação. A pesquisa se desenvolve, por meio de uma abordagem qualitativa (LÜDCKE, ANDRÉ, 1986; BOGDAN; BIKLEN, 1994), em três etapas: na primeira, foi realizada uma pesquisa bibliográfica e de legislação pertinente à formação de professores de Música; na segunda, foi aplicado um questionário com questões fechadas, abertas e palavras de evocação para ter acesso às representações sociais dos professores sobre sua própria formação e atuação profissional; e, na terceira, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com três professoras, três estudantes de Pedagogia (e professoras) e uma gestora, participantes da etapa anterior. Devido às implicações das disposições legais nas políticas curriculares e no contexto de formação, e levando-se em conta as representações sociais de professores sobre suas próprias necessidades/expectativas de formação para o ensino de Música, os dados foram analisados em duas dimensões: a normativa, que sinaliza para a importância das implicações legais para a reestruturação das políticas curriculares e educacionais, no âmbito do contexto de formação, seja nas instituições formadoras e/ou nas escolas; e a formativa, que acentua as necessidades de formação (pessoais, profissionais e institucionais) dos professores e dos futuros professores. Em relação à dimensão pessoal, os resultados apontam para uma maior conscientização do professor (e/ou futuro professor) quanto às necessidades subjetivas de sua formação inicial e/ou continuada para buscar recuperar a sua identidade enquanto ser professor. Quanto à dimensão profissional, foi possível observar que há uma necessidade do fortalecimento do papel do professor frente aos desafios postos pelo cotidiano escolar e àqueles impostos pelos dispositivos legais, assim como das novas propostas pedagógicas frente à construção de um processo pedagógico e político, que seja significativo para todos. E, em relação à dimensão institucional, os professores indicam, em especial, a necessidade de se refletir sobre o ensino de Música como prática pedagógica no âmbito do Projeto Político Pedagógico da Escola. Por fim, é preciso que se tenha claro que não basta criar leis ou projetos alternativos, mas que as instituições formadoras e as escolas possam dar condições para que o ensino de Música se realize de modo consciente e comprometido com a educação dos alunos.

ASSUNTO(S)

formação de professores professores de música pedagogos aplicabilidade da lei 11769/08. educacao

Documentos Relacionados