Análise da utilidade da pesquisa de aspiração pulmonar no exame de cintilografia para a avaliação de refluxo gastroesofágico

AUTOR(ES)
FONTE

Revista da Associação Médica Brasileira

DATA DE PUBLICAÇÃO

2007

RESUMO

OBJETIVOS: Avaliar a utilidade da realização rotineira da imagem tardia de campos pulmonares cinco horas após a ingestão do radiofármaco, no exame de cintilografia para pesquisa de refluxo gastroesofágico (PRGE), com a finalidade de detectar a presença de aspiração pulmonar. MÉTODOS: Foram analisados retrospectivamente 755 exames (400 homens, 355 mulheres) com idade média de 5,18 anos (variando de 1 mês até 94,5 anos). Os exames foram analisados segundo a presença de refluxo, sua freqüência, sua intensidade e a altura do esôfago atingida. Avaliou-se também a presença de atividade radioativa em campos pulmonares nas imagens tardias. RESULTADOS: Trezentos e sete exames apresentaram episódios de refluxo gastroesofágico: 84 exames apresentaram um episódio, 51 apresentaram dois, 45 apresentaram três, 37 apresentaram quatro, 18 apresentaram cinco e 72 apresentaram mais do que cinco episódios. Em 179 exames observou-se refluxo de grau discreto, 69 de grau moderado, 37 de grau acentuado e em 22 exames o grau de refluxo não foi registrado. Quarenta e seis exames apresentaram refluxo até o terço inferior do esôfago, 83 até o terço médio, 161 até o terço superior, 11 até a boca e seis exames não tiveram a altura do refluxo registrada. A imagem tardia foi realizada em 753 exames não se observando nenhum episódio de aspiração pulmonar. CONCLUSÃO: A imagem tardia de campos pulmonares na PRGE nunca foi positiva neste grupo de exames, o que pode ser decorrente da raridade de aspiração pulmonar na nossa amostra de pacientes, da baixa sensibilidade do método para detectar aspiração pulmonar ou de ambos os fatores.

ASSUNTO(S)

cintilografia refluxo gastroesofágico aspiração pulmão

Documentos Relacionados