Análise da aptidão física, da antropometria e da prevalência de sintomas osteomusculares na categoria infanto-juvenil do voleibol

AUTOR(ES)
FONTE

Rev Bras Med Esporte

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/01/2013

RESUMO

INTRODUÇÃO: O controle da ocorrência de lesões durante todo o processo de treinamento possui expressiva importância para o atleta, bem como o monitoramento das adaptações físicas decorrentes do programa de exercícios. OBJETIVOS: Descrever o perfil antropométrico e a aptidão física dos times de voleibol infanto-juvenil e determinar a prevalência de sintomas osteomusculares. Métodos: Estudo longitudinal. Participaram 38 atletas da categoria infanto-juvenil do voleibol monitorados por quatro meses através de testes de aptidão física, mensurações antropométricas e do questionário de sintomas osteomusculares. Foram utilizadas análises descritivas e comparativas através de médias e desvio padrão e teste t de Student. RESULTADOS: Os principais indicadores estatisticamente significativos observaram-se nas variáveis: estatura (p = 0,001 para o sexo masculino e 0,003 para o feminino) envergadura para os meninos (p < 0,001), arremesso (p = 0,003 para os meninos e p < 0,001 para as meninas), abdominal para as meninas (p = 0,001). A maioria dos sintomas prevaleceu nas costas (56,5%), ombros (52,2%), quadris/coxas (52,2%) e joelhos (52,2%). CONCLUSÃO: O perfil dos atletas apresentou como principais características: o aumento da estatura, envergadura e força explosiva de membros superiores, resistência abdominal e agilidade. A grande frequência de respostas afirmativas de queixas nas costas, parte inferior e superior, ombros, quadril/coxas, joelhos e tornozelos reforça a necessidade de um acompanhamento a longo prazo da reação dos jovens desportistas ao treinamento, bem como fomenta estratégias de prevenção.INTRODUCTION: The control of the occurrence of injuries throughout the training process and the monitoring of physical adaptations resulting from the exercise program present significant importance for the athlete. Objective: To describe the anthropometric profile and physical capacity of youth volleyball teams and determine the prevalence of musculoskeletal symptoms. METHODS: A longitudinal study where 38 athletes participated in the Children and Youth Volleyball category monitored for four months through physical fitness and anthropometric tests and questionnaire of musculoskeletal symptoms. Descriptive analysis and comparative means and standard deviations and t test were applied. RESULTS: The main statistically significant indicators observed were in the variables: height (p = 0.001 for males and 0.003 for females) scale for males (p <0.001), pitch (p = 0.003 for boys and p <0.001 for girls), abdominal for girls (p = 0.001). The most prevalent symptoms were found in the back (56.5%), shoulder (52.2%), hips/thighs (52.2%) and knees (52.2%). CONCLUSION: The profile of the athletes presented as main characteristics: increase in height, scale and explosive strength of upper limbs, abdominal strength and agility. The high frequency of affirmative responses to pain complaint on the back, upper and lower parts, shoulders, hips/thighs, knees and ankle reinforces the need for long-term monitoring of young athletes response to training and promotes prevention strategies.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados