Análise cineantropométrica da volumetria e composição percentual muscular dos segmentos apendiculares de bailarinos de elite de Cuba

AUTOR(ES)
FONTE

Revista Brasileira de Medicina do Esporte

DATA DE PUBLICAÇÃO

01/12/2011

RESUMO

INTRODUÇÃO E OBJETIVO: Um bailarino de balé com grande potencialidade de eficiência de movimento técnico transitivo deve mostrar porcentagens de áreas musculares dos segmentos apendiculares em uma volumetria espacial que não o qualifique como feio na sua figura. O propósito desta investigação é comparar a volumetria e composição percentual muscular dos segmentos corporais dos dançarinos de elite de balé com relação à dança moderna e folclórica. MÉTODOS: Realizou-se um estudo antropométrico dos melhores dançarinos cubanos das companhias Balé Nacional de Cuba (BCN), Dança Nacional (DN) e Conjunto Folclórico Nacional (CFN). Seguindo o critério de seleção dos professores, quanto à figura e o desempenho técnico artístico, mediram-se os melhores dançarinos de cada companhia, com idades entre 18 e 40 anos. Aplicou-se um protocolo antropométrico de 10 medições. Utilizaram-se as equações do modelo geométrico de cálculo das áreas transversais totais e musculares dos segmentos apendiculares para estimar a volumetria e composição muscular. RESULTADOS E CONCLUSÃO: A expressão quantitativa das áreas totais por segmentos - em suas múltiplas relações de similitude e diferença - ratificaram os enunciados empíricos que referem um critério diferencial de beleza cênica corporal para os bailarinos de ambos sexos do BNC, em relação aos de DN e CFN. Os dados demonstraram que a linearidade morfológica de um bailarino de elite é independente da expressão de uma potencialidade menor - exceto para a dançarina do CFN - de eficiência do movimento técnico transitivo.

ASSUNTO(S)

antropometria cineantropometria composição corporal dança

Documentos Relacionados