Acesso a orientações de higiene bucal entre escolares da rede pública de ensino

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. odontol. UNESP

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-12

RESUMO

Introdução: O acesso à educação em saúde bucal é considerado um importante preditor para avaliação das condições e dos comportamentos em saúde bucal. Crianças com 12 anos estão, em sua maioria, inseridas no ambiente escolar, sendo a escola um ambiente educacional e social propício para que conhecimentos e mudanças de comportamento sejam trabalhados. Objetivo: Propõe-se identificar a prevalência do acesso a orientações de higiene bucal entre escolares da Rede Pública de Ensino e os fatores associados a esse acesso. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, analítico, conduzido entre escolares de 12 anos de idade de um município brasileiro de grande porte populacional. Os exames foram realizados por 24 Cirurgiões-Dentistas treinados e calibrados com auxílio de 24 anotadores. A coleta de dados ocorreu em 36 escolas públicas, sorteadas dentre as 89 escolas do município. Foram conduzidas análises descritivas, univariadas e múltiplas (OR/IC95%). Resultado: Dos 2.755 escolares avaliados, 2.510 foram incluídos. Destes, 2.173 (86,6%) receberam orientações de higiene bucal. O acesso a orientações de higiene bucal foi maior entre escolares do sexo masculino e dentre os que utilizaram serviços odontológicos privados ou por convênio. Foi menor entre os que usaram o serviço odontológico para tratamento e há mais de um ano, dentre os que não recebiam assistência odontológica na escola e entre aqueles que relataram uma frequência de higiene bucal de uma vez por dia. Conclusão: A maioria dos escolares teve acesso a orientações de higiene bucal, estando este acesso associado a variáveis referentes aos determinantes pessoais, ao serviço de saúde e aos comportamentos. Introduction: Access to oral health education is considered an important predictor for assessing the conditions and behaviors on oral health. Most 12-year children are in the school environment, being the school a propitious educational and social environment for both knowledge as behavioral changes are implemented. Objective: It is proposed to identify the prevalence of access to oral hygiene guidelines among schoolchildren of public schools and the factors associated with such access. Methodology: This is an analytical cross-sectional study conducted among 12-years schoolchildren of a Brazilian city with a large population size. The tests were performed by 24 trained and calibrated dentists with the aid of 24 annotators. Data collection occurred in 36 randomly selected public schools among the 89 schools of the city. Descriptive, univariate and multiple analyzes were conducted (OR/IC95%). Result: Of the 2,755 schoolchildren, 2,510 were included. Of these, 2,173 (86.6%) received oral hygiene guidelines. Access to guidelines for oral care was higher among male students and among those using private dental services or covenant. It was lower among those who used the service for dental treatment for over one year and among those who did not receive dental care at school, who reported a frequency of oral hygiene equal to once/day. Conclusion: Most of the students had access to guidelines for oral hygiene, with this access associated with variables related to personal determinants, health services and behaviors.

ASSUNTO(S)

health sciences




Comentários