A construção teórica na sociologia da saúde: uma reflexão sobre a sua trajetória

AUTOR(ES)
FONTE

Ciênc. saúde coletiva

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/03/2014

RESUMO

O objetivo deste artigo é estabelecer algumas reflexões sobre a construção teórica na constituição da sociologia da saúde, ainda denominada em alguns países de sociologia médica, baseadas em duas ideias: a interdisciplinaridade e o grau de articulação presente nos campos da medicina e da sociologia. Buscamos estabelecer um diálogo com algumas dimensões - macro/micro, estrutura/ação - que constituem as bases na compreensão da medicina/saúde em sua relação com o social/sociológico. Inicialmente apresentamos aspectos dessas dimensões; em seguida abordamos as duas sociologias médicas de Straus 2 e os impasses entre teoria/aplicação, assim como os dilemas do campo da sociologia da medicina dos anos 1960 e 1970. A partir dessas análises colocamos como contraponto a produção teórica anterior a 1970 e situamos a sociologia da saúde no cenário geral da sociologia, que a partir de 1970 sofre um processo de fragmentação com reflexos em todos os subcampos das ciências sociais. Esse processo é acompanhado de um repensar das questões teóricas num espectro ampliado de possibilidades. Destacamos a década de 80 quando se revigoram as questões teóricas da sociologia da saúde e concluímos retomando a questão da interdisciplinaridade.The scope of this paper is to reflect on the theoretical construction in the constitution of the sociology of health, still called medical sociology in some countries. Two main ideas constitute the basis for this: interdisciplinarity and the degree of articulation in the fields of medicine and sociology. We sought to establish a dialogue with some dimensions - macro/micro, structure/action - that constitute the basis for understanding medicine/health in relation to the social/sociological dimension. The main aspects of these dimensions are initially presented. Straus' two medical sociologies and the theory/application impasses are then addressed, as well as the dilemmas of the sociology of medicine in the 1960s and 1970s. From these analyses the theoretical production before 1970 is placed as a counterpoint. Lastly, the sociology of health is seen in the general context of sociology, which underwent a fragmentation process from 1970 with effects in all subfields of the social sciences. This process involves a rethinking of the theoretical issues in a broadened spectrum of possibilities. The 1980s are highlighted when theoretical issues in the sociology of health are reinvigorated and the issue of interdisciplinarity is once again addressed.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados