A ampliação do mercado da moradia e a expansão do espaço metropolitano periférico: um estudo sobre a produção de moradia para o "segmento econômico" em Juatuba/MG

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

19/03/2012

RESUMO

O presente trabalho tem por objetivo compreender de que maneira as transformações recentes da política habitacional brasileira notadamente a criação do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV) em 2009 , contribuem para a expansão do espaço metropolitano periférico sobre municípios menos comprometidos com o processo de metropolização, a partir da produção de moradia pelo mercado imobiliário formal/legal para o chamado segmento econômico que abrange as famílias com renda inferior ou igual a 10 salários mínimos. As famílias nesta faixa de renda passam a participar mais ativamente do mercado consumidor de moradia nos anos 2000. Até então, a produção de moradia às margens da legalidade e da formalidade se apresentava como uma das poucas alternativas viáveis para as famílias que pertencem às camadas de renda mais baixa da população. Os problemas relacionados ao acesso à moradia e à cidade se constituíram e agravaram ao longo do processo de urbanização brasileiro. Sob este aspecto, o espaço metropolitano periférico, que se configurou a partir da produção de moradia pela e para as camadas mais pobres da sociedade brasileira, caracteriza-se, em linhas gerais, como lugar da irregularidade, da precariedade e da pobreza. Desde o final da década de 1990 uma série de ações tem sido empreendidas na esfera das políticas públicas de habitação. Em suma, boa parte destas ações contribuiu para a inserção das famílias com renda inferior ou igual a 10 salários mínimos no mercado formal/legal de moradia, através do incremento do crédito imobiliário e da flexibilização das condições de financiamento. A hipótese central deste trabalho é que a ampliação do mercado da moradia, que passa a incorporar o segmento econômico, favorece a expansão do espaço metropolitano periférico sobre municípios até então menos integrados à dinâmica metropolitana, onde a disponibilidade e o custo da terra se mostram interessantes ao capital imobiliário. A fim de compreender as particularidades deste processo, o município de Juatuba localizado no vetor de expansão da RMBH denominado Eixo Industrial foi adotado como estudo de caso. A análise dos dados e das informações obtidos na pesquisa de campo possibilita afirmar que, a despeito de tais particularidades, o acesso à moradia e, consequentemente, à cidade se consolidam como um privilégio e não como um direito.

ASSUNTO(S)

arquitetura teses.

Documentos Relacionados