Os achados de imagem para avaliação da tríade portal são confiáveis para realização do transplante hepático com doador vivo?

AUTOR(ES)
FONTE

ABCD, arq. bras. cir. dig.

DATA DE PUBLICAÇÃO

30/11/2013

RESUMO

RACIONAL: Um aspecto crucial do transplante hepático inter-vivos é o risco imposto ao doador, devido ser procedimento realizado em pessoa saudável, com possibilidade de alta morbidade pós-operatória. OBJETIVO: Correlacionar os achados de imagem do pré e intra-operatório dos doadores adultos vivos de fígado. MÉTODOS: No período de 2003 a 2008 foram revisados os prontuários de 66 doadores. Foram 42 homens (64%) e 24 mulheres (36%), com média de idade de 30 anos (± 8 anos). A anatomia pré-operatória foi analisada através de colangiografia por ressonância nuclear magnética para estudo dos ductos biliares e angiografia por tomografia computadorizada para artéria hepática e veia porta. Critérios de normalidade foram estabelecidos de acordo com estudos prévios da literatura. RESULTADOS: Variações anatômicas dos ductos biliares foram encontradas em 59,1% dos doadores; da artéria hepática em 31,8% e da veia porta em 30,3% dos casos no pré-operatório. A colangiografia por ressonância nuclear magnética apresentou achados concordantes em 44 (66,6%) doadores e discordantes em 22 (33,3%). Com relação à artéria hepática em todos os doadores os achados do exame de imagem foram concordantes com os do intra-operatório. Para a veia porta a tomografia computadorizada apresentou achados concordantes em 59 (89,4%) doadores e discordantes em sete (10,6%). CONCLUSÕES: As variações anatômicas dos ductos biliares são frequentes, com a colangiografia por ressonância nuclear magnética apresentando acurácia moderada (70%) na reprodução dos achados cirúrgicos; a tomografia computadorizada reproduziu os achados do intra-operatório da artéria hepática em 100% dos doadores, e reproduziu os achados intra-operatórios em 89,4% dos casos em relação à veia porta, apresentando acurácia elevada (89%).BACKGROUND: A crucial aspect of living-donor liver transplant is the risk imposed to the donor due to a procedure performed in a healthy individual that can lead to a high postoperative morbidity rate AIM: To correlate the pre- and intraoperative hepatic imaging findings of living adult donors. METHODS: From 2003 to 2008 the medical charts of 66 donors were revised; in that, 42 were males (64%) and 24 females (36%), mean age of 30±8 years. The preoperative anatomy was analyzed by magnetic resonance cholangiography to study the bile ducts and by computed tomography angiography to evaluate the hepatic artery and portal vein. Normalcy criteria were established according to previously published studies. RESULTS: Anatomic variations of the bile ducts were found in 59.1% of donors, of the artery hepatic in 31.8% and of the portal vein in 30.3% of the cases during the preoperative period. The magnetic resonance cholangiography findings were in agreement in 44 (66.6%) of donors and in disagreement in 22 (33.3%). With regards to hepatic artery, in all donors the findings of the imaging examination were in agreement with those of the intraoperative period. As to the portal vein, the computed tomography findings were in agreement in 59 (89.4%) donors and in disagreement in seven (10.6%). CONCLUSIONS: The bile duct anatomic variations are frequent, and the magnetic resonance cholangiography showed moderate accuracy (70%) in reproducing the surgical findings; the computed tomography reproduced the intraoperative findings of the hepatic artery in 100% of donors, and of the portal vein in 89.4% of the cases, thus demonstrating high accuracy (89%).

ASSUNTO(S)

health sciences




Comentários