Intenção de amamentar e de introdução de alimentação complementar de puérperas de um Hospital-Escola do sul do Brasil

AUTOR(ES)
FONTE

Ciênc. saúde coletiva

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-07

RESUMO

O objetivo deste artigo é analisar a intenção de puérperas de amamentar e as perspectivas de introdução de alimentos complementares no primeiro ano de vida da criança. Estudo transversal descritivo, realizado no Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas (RS), de Setembro a Dezembro de 2010. Os dados foram obtidos através de um questionário padronizado, contemplando perguntas sobre fatores socioeconômicos, amamentação e alimentação complementar. Participaram 170 puérperas com idade média de 26,5 ± 5,8 anos. Dentre elas, 99% realizaram pré-natal, mas apenas 49% referiram ter recebido informação sobre aleitamento materno e/ou alimentação complementar nestas consultas. Todas as mães informaram pretender amamentar, sendo a média do aleitamento exclusivo pretendido de 5,5 ± 1,6 meses. As variáveis associadas a maior tempo de intenção de amamentação foram maior escolaridade, não trabalhar fora do lar, menor idade materna e ter recebido informações sobre amamentação durante o pré-natal. Quanto à alimentação complementar, caldo de feijão foi o alimento mais pretendido pelas mães para o primeiro ano de vida, com 99,41% de aceitação, enquanto chá foi o de intenção mais precoce. O tempo de amamentação exclusiva foi aquém do preconizado pela OMS e a alimentação complementar mostrou-se equivocada.This article seeks to analyze the intention of mothers to breastfeed and the prospects for introduction of complementary food in the first year of life. A cross-sectional study was conducted from September to December 2010 at the Teaching Hospital of the Federal University of Pelotas in the state of Rio Grande do Sul, Brazil. Data were obtained through a standardized questionnaire, containing questions about socioeconomic conditions, breastfeeding and complementary feeding. 170 mothers were enlisted, with a mean age of 26.5 ± 5.8 years old. Among them, 99% had received prenatal medical care and only 49% recalled having received information about breastfeeding and/or supplementary feeding during the care. All of the mothers intended to breastfeed exclusively for a mean time of 5.5 ±1.6 months. Years of schooling, mothers who do not work outside the home, lower maternal age and receiving information about breastfeeding during prenatal care were associated with longer duration of exclusive breastfeeding. Regarding complementary food, bean soup was the food most intended for the child's first year of life, with an acceptance of 99.41%, while tea was the one with the earliest intention. The duration of breastfeeding was below the WHO guidelines, and complementary food was considered to be misguided.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados