Fatores associados à melhora da composição corporal em indivíduos com DPOC após treinamento físico

AUTOR(ES)
FONTE

Fisioter. mov.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-12

RESUMO

Introdução A redução da massa magra corpórea (MMC) é um fator independente de mortalidade em pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e a literatura mostra que exercícios físicos aumentam a MMC. Objetivo Identificar fatores associados à melhora da composição corporal em indivíduos com DPOC após treinamento físico de alta intensidade. Métodos 37 pacientes com DPOC (19 H; 66 ± 7 anos; IMC = 27 ± 6 kg/m2; VEF1 = 38 ± 16 %pred) foram avaliados segundo sua composição corporal, função pulmonar, força muscular respiratória e periférica, capacidade funcional de exercício (teste de caminhada dos seis minutos, TC6M), nível de atividade física diária (DynaPort®), sensação subjetiva de dispneia (escala Medical Research Council) e qualidade de vida (Saint George Respiratory Questionnaire). O treinamento conteve exercícios de endurance e força muscular (3 vezes por semana por três meses). Após três meses, os pacientes foram reavaliados. Aqueles que apresentaram incremento de MMC incorporaram à estatística. Resultados No pré-treinamento, a MMC se correlacionou significativamente (p ≤ 0,05) com gasto energético total (r = 0,57), TC6M em %predito (r = 0,46), pressão expiratória máxima (PEmax) (r = 0,57), volume expiratório forçado no primeiro segundo em %predito (r = 0,47), força muscular de quadríceps femoral (r = 0,54), bíceps (r = 0,62) e tríceps braquial (r = 0,63). Contudo, o incremento da MMC após treinamento correlacionou-se significativamente somente com a melhora das escalas MRC (r = 0,4; p = 0,05) e PEmax (r = 0,35; p = 0,04). Conclusão Apesar de a MMC de pacientes com DPOC estar relacionada com a capacidade funcional de exercício, força muscular respiratória e periférica, obstrução pulmonar e gasto energético no pré-tratamento, a melhora da composição corporal está relacionada somente ao incremento da força muscular expiratória e sensação de dispneia após treinamento físico de alta intensidade.Introduction The fat free mass (FFM) reduction is an independent predictor factor of mortality in patients with chronic obstructive pulmonary disease (COPD) and the literature shows that exercise increases the FFM. Objective To identify factors associated with improvement in body composition in patients with COPD after high intensity physical training. Methods Thirty-seven patients with COPD (19M; 66 ± 7 years; BMI = 27 ± 6 kg/m2; VEF1 = 38 ± 16 %pred) were evaluated according to their body composition, lung function, respiratory and peripheral muscle strengh, functional exercise capacity (six minutes walk test, 6 MWT), level of daily physical activity (activity monitor, DynaPort®), the sensation of Dyspnea (Medical Research Council scale) and quality of life (Saint George Respiratory Questionnaire). The physical training contained muscle strength and endurance exercises (3 times/week, for 3 months). After 3 months patients were reevaluated. Those who exhibited an increase in FFM entered in the statistics. Results At the baseline, FFM significantly (p ≤ 0.05) correlated with total energy expenditure (r = 0.57), 6MWT in %predict (r = 0.46), maximum expiratory pressure (MEP) (r = 0.57), forced expiratory volume in the first second in %predict (r = 0.47), quadriceps strength (r = 0.54), biceps strength (r = 0.62) and triceps strength (r = 0.63). However, the improvement in the FFM after training significantly correlate only with increases in the MRC scale (r = 0.47; p = 0.05) and MEP (r = 0.35; p = 0.04). Conclusion Despite the FFM in patients with COPD be related to functional exercise capacity, respiratory and peripheral muscle strength, pulmonary obstruction and energy expenditure in the baseline, improved in FFM after exercise training is related only with increases in expiratory muscle strength and with the dyspnea sensation.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados