Associação entre capital social, condições e comportamentos de saúde bucal

AUTOR(ES)
FONTE

Ciênc. saúde coletiva

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-06

RESUMO

O capital social, cuja teoria busca explicar as desigualdades sociais em saúde por meio das interações dos fatores sociais, econômicos e ambientais, tem sido associado a diversos agravos em saúde, mas há ainda poucas pesquisas na área da saúde bucal. O objetivo deste estudo foi avaliar a associação entre capital social e fatores sociodemográficos e comportamentais relacionados à saúde bucal em escolares de 15 a 19 anos. Uma amostra aleatória de 1.417 adolescentes respondeu a um questionário autoaplicado, cujos dados foram analisados de forma descritiva (frequências simples, medidas de tendência central e medidas de variabilidade) e inferencial (Qui Quadrado de Pearson). Os resultados mostraram que o capital social mais prevalente entre os adolescentes foi o de nível intermediário, bem como entre cada uma das suas dimensões, com exceção da ação social onde a maioria foi classificada como de baixo nível. Entre as variáveis analisadas, o capital social foi associado estatisticamente apenas ao sexo, com as mulheres apresentando maior chance de ser classificada com baixo capital social. Esta área carece ainda de muitas pesquisas para amadurecimento teórico-conceitual e metodológico a fim de melhor se compreender contextos sociais essenciais para a formulação de políticas de saúde públicas eficazes.The theory of social capital seeks to explain social inequality in health through the interaction of social, economic and environmental factors and has been associated with many health problems, though there is still little research in the area of oral health. The scope of this study was to evaluate the association between social capital and socio-demographic and behavioral factors related to oral health among schoolchildren aged from 15 to 19. A random sample of 1,417 adolescents filled out a self-administered survey and the data were descriptively analyzed (simple frequencies, central tendency and variability measurement) and inferential statistics (Pearson's chi-square test). The results showed that the social capital which is more prevalent among adolescents was intermediate level, as well as between each of its dimensions, except for social action where the majority were classified as lower-leveled. Among the variables analyzed, social capital was statistically associated only with sex, with women being more likely to be classified under the 'low social capital' label. This area still needs considerable research to increase theoretical-conceptual and methodological maturity in order to better understand the social contexts that are essential for formulating effective public health policies.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados