Antidepressivos: uso, adesão e conhecimento entre estudantes de medicina

AUTOR(ES)
FONTE

Ciênc. saúde coletiva

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-06

RESUMO

Este estudo avaliou em estudantes de medicina que usam antidepressivos, o grau de adesão e conhecimento relacionados ao medicamento e a opinião sobre a importância da orientação no tratamento. Trata-se de estudo transversal e descritivo, realizado em uma Faculdade de Medicina pública paulista. Dos 289 alunos entrevistados, 33 (11,4%) utilizam ou já utilizaram antidepressivos, sendo a fluoxetina o mais prescrito. O enfermeiro não foi citado como responsável pela orientação sobre o antidepressivo. Embora a maioria dos estudantes tenha recebido orientações sobre antidepressivo, a maioria não aderia ao mesmo havendo, ainda, dúvidas quanto ao seu uso. Houve associação estatisticamente significativa quanto ao consumo de outros medicamentos além do antidepressivo e presença de efeitos colaterais e quanto ao aumento da dose sem consulta médica e presença dos referidos efeitos. São necessárias ações para valorização do ensino da psicofarmacologia na formação do profissional de medicina e para maior articulação entre teoria e prática profissional.This study assessed the degree of adherence and drug-related awareness and opinions regarding the importance of guidance with respect to treatment among medical students who use antidepressants. It is a cross-sectional descriptive study, carried out in a public Medical School in the state of Sao Paulo, Brazil. Of the 289 students interviewed, 33 (11.4%) use or had already used antidepressants, with fluoxetine being the most prescribed. The nurse was not cited as being responsible for guidance on the antidepressant. Although most students had received guidance on antidepressants, they did not heed guidance and still had doubts regarding their use. There was a statistically significant association regarding the consumption of other drugs in addition to antidepressants and the existence of side effects, as well as regarding an increase of the dosage without medical consultation and the existence of such side effects. Actions are necessary to acknowledge the importance of the teaching of psychopharmacology in the training of the medical professional and for greater harmony between theory and practice.

ASSUNTO(S)

health sciences




Comentários